Você tem a impressão de que está cada vez mais difícil ser mãe hoje em dia? Sente-se insegura sobre qual a melhor forma de educar seus filhos? Tem a sensação de que não está educando seu filho do jeito que sempre sonhou? Sente-se perdida, sem saber como agir quando seu filho tem crises de birra? Sente-se tão sobrecarregada com a rotina que tem vontade de sumir, mesmo que por alguns instantes? Já se descontrolou emocionalmente, gritou com o seu filho ou marido e depois se sentiu culpada e chorou horrores por isso? Já chorou escondida por achar que não está dando conta de tudo? Já se sentiu sem energia para repreender seu filho por um mau comportamento dele e acabou se deixando “vencer pelo cansaço”?

Já se sentiu culpada ao dizer não para seu filho e vê-lo triste e frustrado por isso? Fica sem saber como lidar com os sentimentos e comportamentos que seu filho apresenta diante das situações cotidianas, tais como quando é contrariado, quando briga com um coleguinha da escola ou quando não é o primeiro da turma? Já se pegou perguntando ao seu filho se ele era feliz, buscando uma resposta que te trouxesse a esperança de estar fazendo um bom trabalho?

Quando uma mãe me procura para atendê-la ou para atender seu filho, tudo o que ela mais gostaria de ter é um manual explicativo que lhe ensinasse a criar seu filho, sanando suas dúvidas e oferecendo garantias de êxito. Assim como estas mães, tudo o que eu mais quero é que tenham sucesso e criem filhos felizes, que durmam a noite toda, tenham bons relacionamentos, segurança e sejam pessoas do bem, que contribuam para a construção de um mundo melhor.

Educar um filho realmente não é uma tarefa fácil. Eu acredito que ser responsável pela formação de outro ser humano é uma das missões mais belas, mas é também a mais desafiadora da vida, pois não há garantias, é preciso lidar frequentemente com a incerteza e entrar em contato com a sua vulnerabilidade. É assumir que não é perfeita. É errar. É tentar acertar. É oferecer o seu melhor, dia após dia.

Brene Brown, em seu livro “A coragem de ser imperfeito” diz:

“Quem somos e a maneira como nos relacionamos com o mundo são indicadores muito mais seguros de como nossos filhos serão do que tudo o que sabemos sobre criar filhos”.

Perante as situações desafiadoras, é importante que você tenha com quem contar.

Hoje muitas mães recorrem a pesquisas na internet, blogs, livros, televisão e Redes Sociais, porém se deparam com uma quantidade enorme de informações, muitas vezes divergentes e isso acaba fazendo com que você se sinta perdida e tome atitudes com base no medo e na consciência coletiva. Justamente por isso se faz necessário buscar o autoconhecimento, para despertar em si toda a capacidade e vir a ser a melhor mãe que você pode ser, respeitando sua individualidade.

É perigoso educar os filhos com base no que está na moda, no modo como a vizinha educa ou como as outras mamães consideram o correto.

É importante sim que você busque referências externas, mas elas precisam estar alinhadas com os seus valores, seu propósito e com o que é mais importante para a sua família. Ter clareza disso te ajudará a viver a maternidade com mais equilíbrio e consciência, sendo menos reativa e menos exigente quanto às expectativas sociais.

Num processo de Coaching Parental, meu comprometimento é te ajudar a:

  1. Analisar seu estado atual e o funcionamento da sua família;
  2. Identificar seus pontos fortes e habilidades;
  3. Explorar possibilidades e soluções;
  4. Criar ações para que o ciclo familiar seja equilibrado.

O Coaching é o processo, Coach é o profissional e Coachee é o cliente. Nesta metodologia eu e você trabalharemos juntas, de modo colaborativo, criando soluções, conexões e clareza.

Vamos juntas?

Entre em contato e agende sua sessão experimental!

Com carinho, Aline.