Como você tem se sentido dentro do seu sistema familiar? Quais foram as principais mudanças na sua relação com seu marido, depois da chegada dos filhos? Quais são os dilemas e desafios presentes? Como a atual dinâmica familiar afeta o comportamento de cada membro? Em que momento você acredita ter perdido o controle da própria vida? Quais são os padrões negativos que têm se repetido? Quem é você sem usar rótulos ou funções? Como você se sente sobre si mesma? Quais partes de você se perderam com a maternidade? O que você gostaria de manifestar na sua vida ou desenvolver mais?

Quantas vezes você já parou para se fazer perguntas como essas? Como você se sentiu ao ler tais perguntas? Quais sentimentos despertou em você?

Com toda a agitação do dia-a-dia e a correria da vida moderna, é difícil mesmo pararmos para uma autoanálise e para avaliarmos como estamos conduzindo nossa vida, mas se não ousarmos fazer-nos tais perguntas, nunca encontraremos as respostas e perderemos a oportunidade de ajustar nossas escolhas para aquilo que nos traga mais satisfação e bem-estar.  

O autoconhecimento é o caminho para a felicidade!

Neste texto eu te convido a olhar um pouquinho mais para si, para todas as áreas da sua vida, para aquelas que estão funcionando de forma otimizada e, principalmente, para aquelas que não estão. Qual área da sua vida você tem negligenciado?

Para termos uma vida equilibrada, precisamos cuidar da nossa vida como um todo: vida financeira, espiritual, amorosa, familiar, profissional, cuidados pessoais… Todas elas são importantes!

Separei 5 passos para te ajudar a DESPERTAR seu potencial, encontrar equilíbrio e tornar-se a melhor versão de si mesma:

  1. Autocuidado: Acredite, se você não se colocar como prioridade, ninguém irá. Lembre-se, para cuidar bem dos seus filhos e família, você precisa estar bem consigo mesma. Todo filho merece uma mãe feliz! Faça uma lista de coisas que você gosta de fazer para se sentir bem: fazer a unha, cortar o cabelo, ler um livro, assistir um filme, comprar uma roupa nova, tomar um café com as amigas, ir ao cinema, tomar um banho demorado, meditar, praticar uma atividade física… Com essa lista em mãos você pode escolher um item por semana e colocá-lo como uma meta.
  2. Escrita terapêutica: Sempre que estiver com algum dilema, se faça essas 3 perguntas: “O que está acontecendo?”, “O que quero no lugar disso?” e “Como posso chegar no que quero?” e escreva o que sentir vontade, deixe fluir. Coloque uma música instrumental para ajudar a relaxar e se permita escrever e encontrar as respostas aí dentro de você.
  3. Gratidão: Muitas pesquisas já comprovam os benefícios de exercitar a gratidão. Todas as noites, reserve 5 minutinhos para fazer uma breve revisão do seu dia e escolha 3 coisas pelas quais você é grata. Não precisa ser nada muito grandioso, mas que seja sincero. Você pode fazer um diário ou um pote da gratidão e registrar por escrito, para que no final do ano você possa ver e reler todos esses momentos.
  4. Perdão: Perdoar a si mesma, reconhecer que você é humana e que comete erros igual a todo mundo. Perdoar aos outros e parar de arrastar correntes de sofrimento e mágoas que só te trazem mal estar. Perdoar não é concordar ou aceitar, mas sim compreender as razões pelas quais o outro fez o que fez. Perdoar é se desamarrar da dor que traz sofrimento e se libertar para investir energia em seu desenvolvimento pessoal.     
  5. Desenvolvimento pessoal: Cuidar da sua saúde mental e emocional, reservar um tempo para olhar pra si, se conhecer, identificar suas forças, reconhecer os pontos de melhoria, desenvolver suas habilidades, estabelecer metas, ter um planejamento de vida, receber apoio e tomar decisões mais assertivas. Você pode se desenvolver através de livros, cursos ou contratando uma profissional para te acompanhar nessa jornada.

Vamos juntas?

Com carinho, Aline.